BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 13 de agosto de 2020
Postado por: Equipe CPDMA

Publicada norma que regulamenta a transação de créditos tributários apurados pelo regime do Simples Nacional

Atendendo aos anseios das microempresas e empresas de pequeno porte optantes do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições (Simples Nacional), foi publicada no dia 06 de agosto a Lei Complementar nº 174/2020, a qual autoriza a extinção de créditos tributários mediante celebração de transação resolutiva de litígios, nos termos do que possibilita o art. 171, do Código Tributário Nacional. Um de seus propósitos é o de viabilizar a superação de uma situação de crise econômico-financeira, em especial esta que decorre dos efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus, que provoca impactos na capacidade de geração de resultados por estas empresas e também na perspectiva de recebimento dos débitos inscritos em dívida ativa da União. 

A Portaria nº 18.731 estabelece as condições e procedimentos para realização da transação que, com base em informações a serem prestadas pelas empresas por meio do Portal REGULARIZE da PGFN, permitirá a classificação da recuperabilidade dos créditos devidos e assim avaliar os prazos e descontos possíveis de serem ofertados. Estas informações dizem respeito, essencialmente, à receita bruta mensal deste ano em comparação com a de 2019, assim como aquelas pertinentes à folha de salários com relação a quantidade de empregados, admissões e desligamentos mensais no período e, ainda, a quantidade de contratos de trabalho suspensos, com fundamento na Medida Provisória nº 936/2020 (para saber mais, clique aqui – este é o endereço do link: https://www.cesarperes.com.br/covid-19/index/?id=o-bom-senso-como-balizador-dos-acordos-coletivos-neste-momento-de-crise

Entre as modalidades oferecidas, há a possibilidade de parcelamento com ou sem alongamento do prazo ordinário para pagamento (que é de 60 meses) ou o oferecimento de descontos a serem graduados caso a caso, a depender do impacto causado pela pandemia na capacidade de geração de resultados. 

Dessa forma, a norma estabelece o pagamento de entrada parcelada em até 12 (doze) meses no valor relativo a 4% do valor consolidado dos créditos incluídos na negociação e o restante poderá ser pago em até 133 parcelas mensais e sucessivas com redução de juros, multas e encargos legais de até 70% sobre o valor de cada crédito.

O prazo para que sejam prestadas as informações pela empresa contribuinte, necessárias à realização da transação, já está em vigor e se estenderá até 29 de dezembro de 2020. Importante destacar que a formalização desse acordo somente ocorrerá após o pagamento de todas as parcelas da entrada, podendo haver o cancelamento da transação caso não se verifique o cumprimento desse requisito. Além disso, é crucial ressalvar a restrição quanto aos créditos apurados nesse regime cuja cobrança seja de competência estadual e municipal. Nos casos em que os entes federativos tenham convênio com a União e, portanto, haja a cobrança integralmente pela PGFN, poderão ser incluídos tais créditos nesta negociação.

Visando a melhoria do ambiente de negócios das micro e pequenas empresas, assim como a manutenção da fonte produtora, do emprego e da renda, em meio a esta situação de crise pela qual passamos, a transação vem como uma forma de cooperação entre fisco e contribuinte para cumprimento das obrigações tributárias, levando em consideração os impactos financeiros sofridos e atendendo ao tratamento diferenciado e favorecido que deve ser garantido a elas.

A equipe tributária do escritório Cesar Peres Advocacia Empresarial está apta a orientar seus clientes nesta negociação com a Fazenda Pública e estamos à disposição para prestar este auxílio.

Fonte: Claudia Gardin Martins.

Voltar

Posts recentes

Com importantes alterações na Lei das S/A e o fim da EIRELI, Lei do Ambiente de Negócios é sancionada

Foi sancionada pela Presidência da República, na última quinta-feira, 26 de agosto, a Lei nº 14.195/2021, originada pela Medida Provisória nº 1.040/2021, que visa ampliar a qualidade do ambiente de negócios no país, facilitando a abertura e o funcionamento de empresas, bem como protegendo acionistas minoritários nas Sociedades Anônimas de capital aberto e fechado. Dentre […]

Ler Mais
Uma nova obrigação tributária para o Produtor Rural

A partir de maio de 2021, os Produtores Rurais passaram a ter que entregar a obrigação acessória denominada EFD-REINF, sob pena de aplicação de multas que partem de R$ 20,00 e chegam até 2% do total dos tributos devidos no mês de competência. Mas, afinal, o que significa EFD-REINF? A Escrituração Fiscal Digital de Retenções […]

Ler Mais
O Futuro das Holdings com a ameaça da reforma do IR

A isenção do Imposto de Renda sobre os dividendos e a possibilidade de deduzir como despesas os valores pagos a título de Juros sobre Capital Próprio (JCP) foram criados há mais de 25 anos, como forma de tornar mais atrativo o investimento nas empresas nacionais, em um plano de alcançar maior parcela do capital estrangeiro […]

Ler Mais
Aprovado o marco legal das startups

O Governo Federal sancionou na terça-feira passada (01/06) o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador, através da Lei Complementar nº 182/21, a qual trouxe também importantes alterações na Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/76). O texto sancionado apresenta medidas de estímulo à criação de empresas inovadoras e incentivos aos investimentos por meio […]

Ler Mais
MP 1.040/21 traz importantes alterações na Lei das Sociedades Anônimas e na Lei de Registros Mercantis

Na última terça-feira, 30 de março de 2021, foi publicada a Medida Provisória nº 1.040/2021, que trouxe importantes alterações no âmbito societário. Dentre elas, foram promovidas significativas alterações na Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/1976) e na Lei de Registro Público de Empresas Mercantis (Lei nº 8.934/1994). Para destacar os principais pontos alterados, seguem […]

Ler Mais
Cresce a discussão sobre a possibilidade de revisão dos contratos futuros de soja

A forte elevação do preço da soja tem causado um grande debate sobre o cumprimento dos contratos formalizados em 2020 com vencimento previsto para 2021. Os produtores rurais defendem que a variação do preço é muito grande. Os compradores temem não receber o produto nas datas previstas. O que se observa é o aumento do […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram