BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 9 de outubro de 2020
Postado por: Equipe CPDMA

Perguntas e respostas sobre “marca”

1. Quais são meus direitos e deveres como titular de uma marca?

O registro de marca garante ao titular o direito de uso exclusivo da marca em todo o território nacional, tal como ela foi concedida e para o segmento de atuação escolhido, isso porque, no momento do pedido, a parte interessada deve apresentar a expressão pretendida na forma mista ou nominativa, escolhendo, dentre as 45 classes existentes, aquela que melhor se adequa para o seu produto ou serviço a ser identificado por aquela marca. O titular da marca deve, a cada 10 anos, efetivar o pagamento do decênio, para manter seu registro vigente. 

2. Eu preciso ter uma empresa para registrar uma marca?

Para registrar uma marca, não há necessidade de possuir uma empresa registrada. Qualquer pessoa, física ou jurídica que exerça atividade, direta ou indiretamente relacionada ao produto ou serviço ao qual se pretende proteger, poderá requerer o registro. Deve ser observado, contudo, que para os casos de pessoa física, a comprovação do exercício da atividade relacionada se dá através da comprovação da profissão exercida, por exemplo, com a apresentação de um certificado de conclusão de curso. Para a pessoa jurídica, normalmente o contrato social, no qual conste o objeto social relacionado à atividade é o suficiente.

3. Eu consigo ter acesso às informações sobre a minha marca pela internet?

O pedido de registro de marca leva em média 40 dias para ser publicizado no site do INPI. A partir de então, as informações permanecem disponíveis à qualquer pessoa que possa se interessar, podendo ser acessadas diretamente no site do INPI: www.gov.br/inpi/pt-br.

4. Quanto tempo leva para eu conseguir o registro?

Ao todo, desde o ingresso do processo até o deferimento (em um processo normal sem intercorrências), o INPI tem levado em média 8 à 12 meses para análise de viabilidade do registro da marca.

5. Eu posso perder a minha marca mesmo ela estando registrada?

Sim, se você eventualmente não inicia o uso da marca ou deixar de utilizá-la pelo prazo de 5 anos consecutivos ou ainda passa a utilizá-la de forma diversa daquela como foi concedida, há grande risco da extinção do registro pela caducidade.

6. Eu posso transferir a minha marca para outra pessoa ou empresa?

As marcas podem ser tanto licenciadas por tempo determinado, como transferidas em definitivo à outros titulares à titulo gratuito ou mediante pagamento de royalties para o caso de licenciamento ou valor fixo para o caso de venda, com a transferência definitiva.

7. Quanto tempo dura o registro de marca?

O registro de marca tem validade de 10 anos, prorrogável por iguais e sucessivos períodos, desde que realizada a manutenção do processo com o pagamento das taxas decenais.

Fonte: Vanessa Pereira Oliveira Soares, advogada da Cesar Peres Dulac Müller, é especialista em Direito de Propriedade Intelectual.

Voltar

Posts recentes

Com importantes alterações na Lei das S/A e o fim da EIRELI, Lei do Ambiente de Negócios é sancionada

Foi sancionada pela Presidência da República, na última quinta-feira, 26 de agosto, a Lei nº 14.195/2021, originada pela Medida Provisória nº 1.040/2021, que visa ampliar a qualidade do ambiente de negócios no país, facilitando a abertura e o funcionamento de empresas, bem como protegendo acionistas minoritários nas Sociedades Anônimas de capital aberto e fechado. Dentre […]

Ler Mais
Uma nova obrigação tributária para o Produtor Rural

A partir de maio de 2021, os Produtores Rurais passaram a ter que entregar a obrigação acessória denominada EFD-REINF, sob pena de aplicação de multas que partem de R$ 20,00 e chegam até 2% do total dos tributos devidos no mês de competência. Mas, afinal, o que significa EFD-REINF? A Escrituração Fiscal Digital de Retenções […]

Ler Mais
O Futuro das Holdings com a ameaça da reforma do IR

A isenção do Imposto de Renda sobre os dividendos e a possibilidade de deduzir como despesas os valores pagos a título de Juros sobre Capital Próprio (JCP) foram criados há mais de 25 anos, como forma de tornar mais atrativo o investimento nas empresas nacionais, em um plano de alcançar maior parcela do capital estrangeiro […]

Ler Mais
Aprovado o marco legal das startups

O Governo Federal sancionou na terça-feira passada (01/06) o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador, através da Lei Complementar nº 182/21, a qual trouxe também importantes alterações na Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/76). O texto sancionado apresenta medidas de estímulo à criação de empresas inovadoras e incentivos aos investimentos por meio […]

Ler Mais
MP 1.040/21 traz importantes alterações na Lei das Sociedades Anônimas e na Lei de Registros Mercantis

Na última terça-feira, 30 de março de 2021, foi publicada a Medida Provisória nº 1.040/2021, que trouxe importantes alterações no âmbito societário. Dentre elas, foram promovidas significativas alterações na Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/1976) e na Lei de Registro Público de Empresas Mercantis (Lei nº 8.934/1994). Para destacar os principais pontos alterados, seguem […]

Ler Mais
Cresce a discussão sobre a possibilidade de revisão dos contratos futuros de soja

A forte elevação do preço da soja tem causado um grande debate sobre o cumprimento dos contratos formalizados em 2020 com vencimento previsto para 2021. Os produtores rurais defendem que a variação do preço é muito grande. Os compradores temem não receber o produto nas datas previstas. O que se observa é o aumento do […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram